Construção de ponte sobre o Rio Paraguai é uma vitória, diz Pedro Chaves

19 de abril de 2018

Relator da proposta de construção de ponte rodoviária entre Brasil e Paraguai (PDS 17/2018), na Comissão de Relações Exteriores (CRE), o senador Pedro Chaves (PRB) comemorou a aprovação do projeto nesta terça-feira (17), no Plenário do Senado. “Esta é uma reivindicação antiga dos setores produtivos ligados ao agronegócio. Com o Corredor Bioceânico haverá redução de 8 mil quilômetros na rota de exportação dos produtos de Mato Grosso do Sul e de outros estados do Centro-Oeste para a Ásia. Esta diminuição de tempo menor se comparado com o escoamento realizado pelos portos do Sudeste e do Sul do Brasil. O ganho de tempo no transporte das exportações, cerca de seis dias a menos, implica ganho de competitividade”, explicou ele. A proposta segue para promulgação do presidente da República, Michel Temer.


A construção da ponte, sobre o Rio Paraguai, vai integrar o Brasil com o Oceano Pacífico por um corredor rodoviário que liga a fronteira sudeste do Mato Grosso do Sul com os portos ao norte do Chile, o chamado Corredor Bioceânico. Ele ligará basicamente, as cidades de Porto Murtinho, em Mato Grosso do Sul, e Carmelo Peralta, no Paraguai. A obra deverá ser custeada em partes iguais pelos governos das duas nações.


“A metade do custo desta ponte deverá ser custeada pelo governo brasileiro e a outra metade caberá ao Paraguai. Cada país ficará responsável pelas obras complementares, os acessos à ponte e postos de fronteira, custeando as desapropriações necessárias à implantação das obras em seus respectivos territórios”, informou Pedro Chaves.


Firmado em junho de 2016, o acordo binacional para a construção da ponte tinha previsão de financiamento federal de R$ 100 milhões. Já estão assegurados, por emenda da bancada, ao menos R$ 56 milhões para início da obra que vai compor rota de 1.950 quilômetros com trechos no Brasil, Paraguai, Argentina e Chile.

Compartilhe nas redes sociais:
Ver mais Notícias